Arquivos do Autor

Como Deus quer que sejamos – a nossa missão como soldados de Cristo

Postado por sexta-feira, 1 junho, 2012

Ninguém que milita se embaraça com negócios desta vida,

a fim de agradar àquele que o alistou para a guerra.”

(II Timóteo 2:4)

 

As pessoas estão acostumadas a serem entendidas e compreendidas quando estão no erro.
As teorias sentimentalistas, cheias de psicologia, dos tempos modernos procuram entender as pessoas e seus problemas. Mas, Deus quer que o homem tome posição diante dEle, porque Deus tem algo muito maior em mente para o homem – e que não é perder tempo com as mazelas que sobrevêm ao homem neste mundo.

As preocupações e prioridades de Deus não são, nunca foram e nem serão as mesmas dos homens.
Se deixarmos de lado nossas “infelicidades”, “amarguras”, “angústias”, “dores”, “tristezas” veremos que o ser espiritual, que habita em nós, tem muito trabalho a fazer, e que nós impedimos isso quando permitimos que a nossa natureza carnal determine nossas ações.
A nossa fortaleza está em fazer a vontade do Senhor. Nisto somos mais que vencedores.

É preciso que, com os nossos atos, mostremos a Deus que Ele pode contar conosco, que Ele não errou aos nos escolher para fazermos parte da sua família: “Ele, porém, respondendo, disse ao que lhe falara: Quem é minha mãe? E quem são meus irmãos? E, estendendo a sua mão para os seus discípulos, disse: Eis aqui minha mãe e meus irmãos.” (Mateus 12:48,49)
E o Senhor Jesus disse ainda: “Vós sereis meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando.” (João 15:14)

Fazer o que o Senhor manda significa que estamos renunciando a tudo o que tenta nos afastar dEle, do alvo, significa que estamos agindo como pessoas amadurecidas, não como crianças que não têm entendimento e conhecimento da vontade do Senhor.

Sobre crescimento e amadurecimento o apóstolo Paulo disse: “Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.” (I Coríntios 13:11)

Ao confirmar o ministério de Josué como sucessor de Moisés o Senhor lhe falou: “Não to mandei eu? Esforça-te, e tem bom ânimo; não temas, nem te espantes“. (Josué 1:9a)

Quando Saul estava atormentado, e queria que alguém tocasse para ele a fim de que se acalmasse, lhe indicaram Davi e a respeito deste foi dito o seguinte: “Eis que tenho visto a um filho de Jessé, o belemita, que sabe tocar e é valente e vigoroso, e homem de guerra“. (I Samuel 16:18b)
E o mesmo Davi, antes de morrer, disse a Salomão: “esforça-te, pois, e sê homem“. (I Rs. 2:2b)

Nossa inspiração deve estar no Senhor, tendo garra, fibra, força, resistência, valentia, porque “o SENHOR é homem de guerra; o SENHOR é o seu nome.” (Êxodo 15:3)
E Ele nos convocou para fazer parte do Seu exército. Os medrosos e covardes não têm bom desempenho nos testes de aptidão, eles não duram horas, dias, meses ou anos nos treinamentos ou combates.

A luta de Jacó com o Anjo do Senhor teve um final vitorioso e ilustra muito bem a atitude de um guerreiro valente, uma vez que Jacó lutou pela sua bênção e ganhou: “Não te chamarás mais Jacó, mas Israel; pois como príncipe lutaste com Deus e com os homens, e prevaleceste.” (Gênesis 32:28)

Que tipo de soldado você tem sido aos olhos do Senhor?

avatar

Facebook Twitter LinkedIn Google+ 


Do leite ao alimento sólido: O amadurecimento do cristão na fé

Postado por domingo, 27 novembro, 2011

Quando uma pessoa chega à presença de Deus, e se propõe a obedecê-LO de forma completa, demonstra que a semente da Palavra foi enraizada em seu coração.

Não é suficiente, porém, estar junto aos irmãos de mesma fé no plano material e no plano espiritual não estarem em unidade, professando as mesmas tradições e doutrinas.

A partir do momento em que nasce o desejo de fazer a diferença busca-se enfatizar o desenvolvimento que se tem nos caminhos do Senhor, seja por meio de palavras seja por meio de obras.

Tal processo de desenvolvimento ou crescimento é notado pelos outros (os “de fora”) através dos frutos. A fortaleza interior é externada no corpo carnal e nas decisões favoráveis ao querer de Deus.

Em se tratando do amadurecimento, ele é uma realidade quando o crescimento se dá de maneira consciente e quando há a convicção de tudo o que se prega e vive.

Nesse tipo de fenômeno comportamental e mental há manifestações ajuizadas de pensamento praticamente a todo o tempo, e não se deixa margem para dúvidas acerca da conquista da “maioridade” no Evangelho. Isto é, equivale ao mesmo que galgar os degraus do nível superior no conhecimento da Verdade e da graça infalível de Deus.

Portanto, cresçamos e amadureçamos diante do Senhor. Não sejamos como meninos¹, agindo como quem desconhece que são os nutrientes fortes em vitaminas (alimentos sólidos) que hão de alimentar-nos, robustecer-nos e vivificar-nos nas veredas do Altíssimo.

_______________________

¹ “Porque, devendo já ser mestres pelo tempo, ainda necessitais de que se vos torne a ensinar quais sejam os primeiros rudimentos das palavras de Deus; e vos haveis feito tais que necessitais de leite, e não de sólido mantimento.” (Hb 5.12) [grifo nosso]

avatar

Facebook Twitter LinkedIn Google+ 


Restauração não é uma denominação

Postado por domingo, 27 novembro, 2011

(…) “E venham assim os Tempos do Refrigério pela presença do Senhor, e envie Ele a Jesus Cristo, que já dantes vos foi pregado, o qual convém que o céu contenha até os Tempos da Restauração de Tudo, dos quais Deus falou pela boca de todos os seus santos profetas desde o princípio. Amém”. Porque Moisés disse: – O Senhor, vosso Deus, levantará dentre vós, irmãos, um profeta semelhante a mim, e a Ele ouvireis em tudo quanto vos disser. E acontecerá que toda alma que não escutar esse profeta será exterminada dentre o povo.
Meu leitor, nós estamos diante de uma posição – quanto aos conhecimentos bíblicos – falando à respeito de Restauração.
Muitas pessoas, às vezes, não entendem quando nós falamos sobre Restauração e acham que nós estamos falando de um rótulo, de uma denominação. Mas nós não estamos falando de um rótulo, nós estamos falando de uma mensagem abençoada do Senhor, contida e exarada nas Escrituras Sagradas.
O que é Restauração? Restauração é o conserto de alguma coisa que está fora da posição. Restauração é você pegar uma coisa que não está funcionando 100% bem e fazer um conserto nela para que ela passe a funcionar 100% normalmente.
E quando nós estamos falando sobre Restauração nós não estamos dizendo: – É a Igreja daquele povo que usa o véu? – É a Igreja onde aquele povo pratica o Lava-pés, a Santa Ceia?
Não. Nós estamos falando de uma mensagem que está contida na minha Bíblia, na sua Bíblia, meu amado irmão. Você que é Pastor, na sua Bíblia; na do Evangelista, Diácono ou Obreiro da Igreja. E você pode analisar no Livro de Atos, capítulo 3, a partir do versículo 19; e também no capítulo 13, versículo 41. Isaías, vai observar também, o profeta falou sobre Restauração; o profeta Habacuque também falou sobre Restauração.
O que é Restauração?
Um concerto de Deus na vida do homem.
Deus sempre quis o homem numa posição totalmente separada deste mundo. – E como o homem vai viver uma vida separada deste mundo se ele está aqui no mundo?
Você vivendo uma vida regrada com a Palavra do Senhor, com obediência as Escrituras Sagradas…
Todavia, você pode até dizer: – Mas o meu pastor não disse que isso tem problema fazer, o meu pastor não disse que aquilo tem problema fazer.
Restauração não é uma invenção das Igrejas na Obra da Restauração, é uma mensagem da Bíblia para o nosso coração.
Deus nos chama para um concerto. Deus chama as suas ovelhas para realmente trilharem um caminho reto. – E como trilhar um caminho reto? Entrando pela Palavra do Senhor. Passando a observar os mandamentos de Deus.
Quando nós olhamos para aquele jovem que seguia a Jesus Cristo, que lhe pergunta: – Tens observado os mandamentos? E ele disse: – Sim, Senhor, eu observo todos os teus mandamentos desde a minha mocidade. E o Senhor vira para aquele jovem e diz: – Te falta ainda uma coisa: Vai vende tudo o que tens, reparte com os pobres e terás uma vida muito mais abençoada. E ele se entristeceu e abandonou a Jesus Cristo.
Muitas das vezes, o homem, por uma questão doutrinária, por uma questão que é pregada na Igreja para que ele viva uma posição de vida diferente do que está se fazendo aí fora, ele acha que o Pastor está corrigindo demais. Ele acha que aquele obreiro está querendo colocar sobre ele carga a qual não convém.
Mas não é uma carga. Diz o Senhor Jesus Cristo que os mandamentos do Senhor não são pesados. Os mandamentos de Deus, a Lei do Senhor não é pesada.
Ora, se quando nós pegamos a Bíblia e falamos para as pessoas que nós cremos numa Bíblia que contém sessenta e seis livros, o livro de Atos está incluído nos sessenta e seis livros, meu prezado leitor. E é preciso que você pare para analisar essas coisas.
Quando a Bíblia fala a respeito do Lava-Pés, uma cerimônia preciosa que é celebrada nas Igrejas em Obra de Restauração, ali nós pegamos o verdadeiro pão asmo, o vinho puro extraído da uva, fazemos aquele memorial perante o Senhor e ali nós completamos com o Lava-Pés… – Ah! Pastor! Mas de maneira nenhuma eu vou fazer isso, não. – Eu vou abaixar na frente do meu irmão e lavar os pés dele! – Eu de forma alguma vou fazer isso!
Jesus disse no livro de João: “- Se eu não te lavar os pés não tens parte comigo“.
Pedro estava recalcitrando: “- Não, Senhor, o Senhor lavar os meus pés? De forma alguma o Senhor vai fazer isso. E o Senhor virou e disse para ele: – Olha, Pedro, se eu não te lavar não tens parte comigo“.
Meu amado leitor, é a verdade prática da Bíblia sem distorção, sem mover nem para a direita nem para a esquerda. Nós estamos aqui falando de uma Bíblia que é realmente completa. Por isso, Deus tem pressa em realizar a sua Obra.
Não importa aonde você está, não importa a igreja da qual você faz parte como membro; o que importa é que você passe a obedecer as Escrituras Sagradas e se voltar realmente para ela.

Nós não estamos falando sobre Velho Testamento. O Velho Testamento para nós é figurativo. Mas nós estamos falando sobre Novo Testamento. Se a Bíblia contém sessenta e seis livros, o livro de Atos é um desses sessenta e seis livros.
Então, nós estamos lendo aqui: “Até os Tempos da Restauração de Tudo”. – Aonde nós encontramos o Lava-Pés? Nós encontramos o Lava-Pés escrito no Evangelho de João, capítulo treze. Está no Novo Testamento, não está no Velho Testamento. Isso é a nova aliança de Deus com a sua Igreja.
Quando nós falamos do véu para a varoa orar e profetizar nós não estamos falando lá em Gênesis. Está escrito em Gênesis, mas nós estamos falando em I Coríntios, capítulo 11.
Meu amado leitor, a verdade liberta. Jesus disse que se nós realmente crêssemos na verdade a verdade é poderosa para nos libertar.
Por isso, nós estamos vivendo o tempo da Restauração de Tudo. – Restauração de Tudo? Como? – Como um título também?
Não. Restauração de tudo como uma verdadeira prática na vida da Igreja.
E é preciso, meu amado leitor, que você se desperte porque a nossa intenção aqui não é te afrontar. Muito pelo contrário. É despertar você a ter uma prática de vida espiritual abençoada “Até os Tempos da Restauração de Tudo, dos quais Deus falou pela boca de todos os seus santos profetas desde o princípio”. Portanto, quando você estiver participando da Santa Ceia na Igreja na qual você congrega – estou mandando para você um despertamento – seria importantíssimo se você estivesse ali comendo o pão asmo.Quando você completa esta Santa Ceia com o pão asmo, com o vinho extraído da uva… Não é você chegar lá no supermercado e comprar um garrafão de vinho e levar para a Igreja para entregar às ovelhas do Senhor Jesus Cristo, porque a mesa do Senhor é sem contaminação.
Pois assim acontecia com os reis do passado: os faraós comiam e bebiam das melhores bebidas. E, se você for analisar lá no livro de Gênesis, você vai observar também essa importância, quando aquele copeiro foi restituído ao cargo. Ele pegava ali, naquela revelação, aquelas uvas, as espremia e colocava aquele suco no copo e levava para entregar ao rei. Nós não estamos servindo a Faraó, mas estamos servindo a um Deus superior a Faraó milhões e milhões de vezes. Porque nós estamos servindo ao Rei dos Reis. O Rei Todo Poderoso, que tem autoridade para comandar todo o universo da terra.
Por isso, meu amado leitor, quando se falar aos seus ouvidos: “Restauração”, não tenha isso apenas como um rótulo de uma denominação, mas tenha como uma prática doutrinária da Bíblia Sagrada “até os Tempos da Restauração de Tudo, dos quais Deus falou pela boca de Todos os seus santos profetas desde o princípio”.
Porque Moisés disse: – O Senhor, vosso Deus, levantará dentre vós, irmãos, um profeta semelhante a mim, a ele ouvireis em tudo quanto vos disser, e acontecerá que toda alma que não escutar esse profeta será exterminada dentre o povo.
Prestou atenção, meu amado leitor? Toda alma que não escutar esse profeta será exterminada dentre o povo. – E quem é esse profeta nos nossos dias? É a Palavra de Deus, é a Palavra de Jesus Cristo para nós. E nós precisamos atentar para isso. Você, meu amado leitor, é convidado para atentar para a Palavra de Deus, porque é ela que conduz o homem aos céus.
Costumam dizer por aí que todo caminho dá na venda. Todo caminho pode dar na venda, como diziam os antigos, mas, para os céus… só um caminho dá nos céus. É o caminho de Jesus Cristo. E se não entrar pelo caminho de Jesus Cristo não conseguirá chegar lá.
Para chegar aos céus só através de Jesus Cristo.
Meu amado leitor, medite nesse texto, desde a introdução até o desfecho, com esta mensagem falando sobre os Tempos de Restauração. Porque Deus tem pressa em operar realmente poderosamente na vida da sua Igreja.

avatar

Facebook Twitter LinkedIn Google+ 


A preocupação de Paulo acerca do estado da Igreja

Postado por domingo, 27 novembro, 2011

- O Apóstolo tinha motivos para estar preocupado com a Igreja?
Sim. Naquele período, surgiam grupos que torciam o Evangelho, os quais introduziam no meio do povo de Deus falsos ensinamentos, sem consistência bíblica e que eram totalmente diferentes daqueles ensinados pelos Apóstolos, desviando, desta forma, muitos dos que estavam no caminho.
A preocupação de Paulo é pertinente. Nos nossos dias essa avalanche está corroendo a Igreja, pois deturpam a Lei do Senhor. Há uma troca de valores. Ser usado pelo Evangelho é totalmente diferente de usar o Evangelho. E este último ocorre, por exemplo, quando o dinheiro se torna o vício daqueles que utilizam a Palavra do Senhor para arrecadar mais e mais.
Porém, quem está no caminho falso pode passar a ser do verdadeiro.
O desejo do apóstolo Paulo é que tenhamos o mesmo cuidado até o fim.
Nenhum homem, nos dias atuais, tem a autoridade de Deus para criar novas doutrinas ou modificar o que já está escrito. A esse respeito Paulo escreveu: “Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema” (Gálatas 1:8). Repare que o texto citado nos diz que “ainda que um anjo do céu”. Se o leitor desejar examinar as Escrituras com cuidado observará que no livro de Apocalipse, numa das exortações finais, o Senhor nos deixa o seguinte: “E, se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte do livro da vida, e da cidade santa, e das coisas que estão escritas neste livro” (Apocalipse 22:19).

avatar

Facebook Twitter LinkedIn Google+ 


Uns comem alimento sólido e outros não

Postado por quinta-feira, 25 fevereiro, 2010

Aqui pregamos as doutrinas do Senhor. Não adaptamos o Seu Evangelho aos nossos dias. As Escrituras não são de particular interpretação. E Deus não designou neste século homem algum para modificar o que já está escrito.
Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego” (Romanos 1:16).
Temos que ter paciência com os fracos. Pois se uns comem alimento sólido, outros não.
E fazei veredas direitas para os vossos pés, para que o que manqueja não se desvie inteiramente, antes seja sarado” (Hebreus 12:13).
Algo diferente está acontecendo no meio do povo de Deus, mudando o curso da história. É só sermos persistentes. O Senhor disse: “Sê fiel até a morte, e dar-te-ei a Coroa da Vida” (Apocalipse 2:10).
Obra do Senhor é Obra de simplicidade, consagração, busca e petição.
Os homens, parecem que estão gelados. Para falarem do Senhor Jesus estão frios. Tentam demonstrar alegria e, ainda assim, não conseguem alcançar a graça de Deus.
Há lugares em que não tem luz elétrica e, no entanto, o fogo cai.
Sentimos que Deus vai unificar o seu povo, aqueles que não se envergonham do Seu Evangelho.
É Deus quem manda no meio da Sua Igreja. E dentro dela faz coisas que deixam o Seu povo perplexo. “No meio do meu povo levanto um povo para restaurar todo o meu povo”.
Temos no nosso corpo um emblema que contém a marca do Evangelho:
É Restauração!
Esta bandeira deve ser erguida.
O Senhor governa para todo o sempre. Amém.

avatar

Facebook Twitter LinkedIn Google+