Como Deus quer que sejamos – a nossa missão como soldados de Cristo

Por sexta-feira, 1 junho, 2012

Ninguém que milita se embaraça com negócios desta vida,

a fim de agradar àquele que o alistou para a guerra.”

(II Timóteo 2:4)

 

As pessoas estão acostumadas a serem entendidas e compreendidas quando estão no erro.
As teorias sentimentalistas, cheias de psicologia, dos tempos modernos procuram entender as pessoas e seus problemas. Mas, Deus quer que o homem tome posição diante dEle, porque Deus tem algo muito maior em mente para o homem – e que não é perder tempo com as mazelas que sobrevêm ao homem neste mundo.

As preocupações e prioridades de Deus não são, nunca foram e nem serão as mesmas dos homens.
Se deixarmos de lado nossas “infelicidades”, “amarguras”, “angústias”, “dores”, “tristezas” veremos que o ser espiritual, que habita em nós, tem muito trabalho a fazer, e que nós impedimos isso quando permitimos que a nossa natureza carnal determine nossas ações.
A nossa fortaleza está em fazer a vontade do Senhor. Nisto somos mais que vencedores.

É preciso que, com os nossos atos, mostremos a Deus que Ele pode contar conosco, que Ele não errou aos nos escolher para fazermos parte da sua família: “Ele, porém, respondendo, disse ao que lhe falara: Quem é minha mãe? E quem são meus irmãos? E, estendendo a sua mão para os seus discípulos, disse: Eis aqui minha mãe e meus irmãos.” (Mateus 12:48,49)
E o Senhor Jesus disse ainda: “Vós sereis meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando.” (João 15:14)

Fazer o que o Senhor manda significa que estamos renunciando a tudo o que tenta nos afastar dEle, do alvo, significa que estamos agindo como pessoas amadurecidas, não como crianças que não têm entendimento e conhecimento da vontade do Senhor.

Sobre crescimento e amadurecimento o apóstolo Paulo disse: “Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.” (I Coríntios 13:11)

Ao confirmar o ministério de Josué como sucessor de Moisés o Senhor lhe falou: “Não to mandei eu? Esforça-te, e tem bom ânimo; não temas, nem te espantes“. (Josué 1:9a)

Quando Saul estava atormentado, e queria que alguém tocasse para ele a fim de que se acalmasse, lhe indicaram Davi e a respeito deste foi dito o seguinte: “Eis que tenho visto a um filho de Jessé, o belemita, que sabe tocar e é valente e vigoroso, e homem de guerra“. (I Samuel 16:18b)
E o mesmo Davi, antes de morrer, disse a Salomão: “esforça-te, pois, e sê homem“. (I Rs. 2:2b)

Nossa inspiração deve estar no Senhor, tendo garra, fibra, força, resistência, valentia, porque “o SENHOR é homem de guerra; o SENHOR é o seu nome.” (Êxodo 15:3)
E Ele nos convocou para fazer parte do Seu exército. Os medrosos e covardes não têm bom desempenho nos testes de aptidão, eles não duram horas, dias, meses ou anos nos treinamentos ou combates.

A luta de Jacó com o Anjo do Senhor teve um final vitorioso e ilustra muito bem a atitude de um guerreiro valente, uma vez que Jacó lutou pela sua bênção e ganhou: “Não te chamarás mais Jacó, mas Israel; pois como príncipe lutaste com Deus e com os homens, e prevaleceste.” (Gênesis 32:28)

Que tipo de soldado você tem sido aos olhos do Senhor?

avatar

Facebook Twitter LinkedIn Google+ 

Enviar para um amigo





Enviar para um amigo