Crise Matrimonial

Por domingo, 27 novembro, 2011

Igreja, Noiva minha,

que conquistei com muito labor

a qual dei todo o meu amor…

- Como estás?

Vejo os lugares por onde passas

e os vinhos das uvas que amassas…

Então paro.

Relembro o dia das nossas bodas

e percebo que das alianças que fizemos

não te lembras de todas.

Quebraste um pacto feito com sangue, bem sabemos.

As suas vestes, antes tão reluzentes,

agora estão manchadas de outros leitos.

Tu me traístes com seus atos imprudentes

e aqui estou eu a lamentar os seus feitos.

Todavia, a minha honra permanece comigo

mesmo que tenhas caído em vil torpeza.

Porque há outras donzelas que são como o trigo:

brancas, belas e exalam nos seus corpos pureza.

- Quando te reconciliarás com o teu esposo

e abominarás o erro que te consome?

Eis que cedo venho, Eu o Todo Poderoso,

o nome que está acima de todo o nome.

Quero Eu coroá-la neste Grande Dia.

Mas terás que voltar ao nível e ao prumo.

Agrada-te das minhas Leis e terás alegria

Eu garanto, Eu que dos Sacerdotes sou o Sumo.

avatar

Noemi de Farias Fuly

“Ainda que o meu pensamento não tenha valor de mercado ou não seja bem recebido no tribunal da opinião pública o que não posso é não pensar, não pensar é impensável.” (Adaptado de R. C. Sproul)

Facebook Google+ 

Enviar para um amigo





Enviar para um amigo