Predo ou Pedro?

Por quarta-feira, 21 dezembro, 2011

Uma certa debatedora, numa renomada FM do Rio de Janeiro, afirmou que Pedro por ser ignorante não teria condições de pregar em Atenas aonde Paulo pregou. Se pregasse seria um sermão “estúpido”, e, além disso, devido ao seu temperamento mandaria quebrar os altares erigidos aos diversos deuses. Porventura Pedro procederia dessa forma como o que foi exposto pela “pastora” debatedora?

Conforme os textos bíblicos, Pedro era um rude pescador (Mt 5.19-20), destituído de uma boa formação intelectual (At 4.13). Sendo Galileu, provavelmente sabia desde a infância, algum grego “Koiné”. Paulo, porém, foi formado aos pés de Gamaliel, um renomado rabino do sistema educacional judaico. Comparativamente o desnível intelectual entre os dois apóstolos era bem acentuado. Bem, ao lermos a principio todas essas informações sem termos um conhecimento mais aprofundado aos textos originais, poderíamos concordar com àqueles que defendem a continuidade da falta de preparo intelectual do apóstolo Pedro. Mas a história posterior é um pouco diferente. O conhecedor das cartas de Pedro escritas em grego mudaria esse conceito acerca do apóstolo. A primeira epístola se assemelha mais ao grego “Clássico” do que o grego “Koiné”, o que evidencia que o autor sagrado recebera posteriormente uma excelente educação liberal. Emprega o artigo definido grego, com mais elegância do que qualquer outro dos escritores do N. T. O autor emprega um vocabulário lato, considerando-se as dimensões da epístola, empregando sessenta e dois vocábulos que não se acham em qualquer porção do N. T. Contém menor número de hebraísmos do que os escritos de Paulo e exibe o uso clássico do termo grego “os” (advérbio), tal como faz o autor sagrado aos Hebreus, o que não é comum nas páginas do N. T. A segunda epístola exibe uma diferença gramatical demonstrando a realização de Pedro no idioma grego usando diferentes estilos para as suas epístolas.

Quanto a continuidade do comportamento temperamental do apóstolo Pedro, expressado pela debatedora, eu discordo, pois ao longo do registro bíblico, Pedro demonstrou uma mudança de seu temperamento emocional ao demonstrar equilíbrio ao ser questionado pelos judeus por sua entrada em casa de Cornélio (Atos 11:4-18). Equilíbrio e maturidade na questão religiosa acerca da circuncisão na assembléia de Jerusalém, a qual houve grande contenda (Atos 15:7-11). Chegou até se deixar levar por sua nova natureza temendo os seus compatriotas sendo passivo de repreensão por parte do apóstolo Paulo (Gl. 2:11-14). Será que a “rede” de Pedro não funcionaria eficazmente na cidade de Atenas se a ele fosse dada essa missão?

O que ensina e prega a palavra de Deus deve ter todo o cuidado ao afirmar certas coisas para que não venha a ser desaprovado (II Tm 2.15). Certo!

avatar

Pr. Adelemir Garcia Esteves

Pastor, Jornalista, Professor de Teologia, Hebraico Bíblico e Conferencista.
“Temos a grande responsabilidade de refletirmos toda a glória de Deus.”
(II Co. 3:18)

Facebook 

Enviar para um amigo





Enviar para um amigo